Destinos > Ásia > Butão

Butão

O Butão é um pequenino reino encravado aos pés do Himalaia, ao norte, a gigantesca China e ao sul a superpopulosa Índia. Como está distante do Brasil, poucas pessoas conhecem. Exótico, de tradições peculiares e muito isolado - para chegar lá só embarcando numa das companhias aéreas locais - Druk Air ou Bhuthan Airlines (que pertencente ao rei), partindo de Bangkok (Tailândia), Katmandu (Nepal), Nova Delhi ou Calcutá (Índia), rumo a Paro, onde está o único aeroporto internacional do país. Mas, Paro não é a capital. A capital é Thimphu, a uma bela altitude de 2329 metros. É um país muito bonito, que tem uma grande diferença com seus vizinhos Nepal e Tibete. Lá as cidades são pequenas, organizadas e limpas. As crianças têm educação ambiental nas escolas e a conservação do meio ambiente é tema constante. As paisagens são de tirar o fôlego e não existe aquela horda de turistas, que você encontra no Nepal e Tibet. Se você vai a algum lugar é quase praticamente só você e o guia. Por ter vivido tanto tempo sem muito contato com o resto do mundo, o País do Dragão conseguiu preservar suas tradições e manter a harmonia entre a população de 700 mil habitantes. Eles são budistas, cultuam um guru Rinpoche conhecido como o Segundo Buda; são felizes; adeptos a poligamia; relacionamentos homossexuais são aceitos normalmente; usam desenhos fálicos pintados nas fachadas das casas para atrair prosperidade; vivem com pouco luxo em pequenas comunidades rurais que não valorizam a privacidade; vestem-se com lindos trajes típicos feitos em tecido produzido em tear manual, para as mulheres Kira e para os homens Gho. Eles recebem o auxílio dos monges para nomear seus filhos, os monges também relatam aos pais uma espécie de "mapa astral" dos recém-nascidos revelando segredos sobre o futuro das crianças e sobre suas vidas passadas; 50% dos adultos não sabe ler nem escrever; o esporte nacional é o arco e flecha; todas as casas recebem uma purificação anual dos monges; bens materiais não são valorizados. Até bem pouco tempo eles não tinham moeda e trocavam mercadorias; a televisão só chegou por lá há 10 anos... E, as diferenças não param por aí. Viajar pelo Butão é como circular pelas pequenas e remotas cidades do interior do Brasil. Não há trem, metrô ou qualquer outro tipo de transporte ferroviário no país. A melhor - e quase única - opção para o turista é circular de carro alugado ou de táxi. Vale lembrar que também não há grandes frotas de veículos no país. Como só se entra no Butão com hotel, comida, guia e transporte pagos, turistas não têm problemas para circular no país. Mesmo quem viaja desacompanhado tem um guia e um motorista à disposição.